Negócios

De Vendedora de Folhas à Empreendedora na Feira de São Joaquim

Conheça a história de Dona Dete, que empreendeu por necessidades financeiras e conquistou o público da Feira de São Joaquim

 

Gildete Palmeira Pereira, mais conhecida como Dona Dete, tem 52 anos. Nascida em Salvador, viveu sua infância no bairro de Campinas de Pirajá com seus pais e seus sete irmãos.

Aos 15 anos, precisou trabalhar para ajudar no sustento da família e criar seus irmãos mais novos. Iniciou vendendo diversos tipos de folhas na Feira de São Joaquim, em Água de Meninos.

“Duas vezes ao dia eu ia andando nos bairros de Alto do Cabrito, São Caetano, Águas Claras e na BR catar as folhas para vender na Feira”, explica Dona Dete.

Com a renda mensal de R$ 48 naquela época, a feirante relata que misturava farinha com água para imitar o acarajé e ter o que comer.

Em meados de 1995, já casada, com 30 anos e uma filha, Tatiane, Dona Dete viu a família enfrentar novamente uma instabilidade econômica, que a fez assumir uma postura ativa na vida financeira familiar.

Conheceu Seu Pedro, então gerente da rede de atacado A.Gomes, que possuía relações comercias com seu marido. Com o objetivo de amparar o casal, Seu Pedro forneceu uma gama de produtos consignados para a autônoma comercializar na Feira.

Nesse momento, nascera uma microempreendedora, que conquistou sua clientela e uma renda mensal de seis a dez salários mínimos.

Atualmente, Gildete é dona de um armarinho e papelaria na Feira de São Joaquim, batizado com o nome de sua primogênita, e completa sua renda com o dinheiro dos alugueis de seus imóveis, comprados com o lucro de sua loja.

Feira de São Joaquim

Armarinho Tatiane

Segundo José do Amor Divino, Diretor do Sindicado dos Feirantes (Sindfeira), “o Armarinho de Dona Dete é o mais completo da Feira e seus clientes encontram desde material escolar até produtos de beleza e bijuterias”.

“Agora sou mãe, esposa, religiosa, independente, crio meus dois filhos com dignidade e hoje já posso comprar meu acarajé”, declara, emocionada, a empreendedora.

A Feira de São Joaquim

Feira de São Joaquim

Feira de São Joaquim

A Feira de São Joaquim é a maior feira livre da cidade de Salvador (BA). Inicialmente, foi pensada para atender a mais tradicional população de baixa renda, não só dos soteropolitanos como do recôncavo baiano.

Localizada na Cidade Baixa entre a Baía de Todos os Santos e a Avenida Oscar Pontes, no bairro de Água de Meninos. Sua importância é vital para o comércio, cultura e favorecimento dos menos abastados, devido aos bons preços.

Criada na década de 1960, São Joaquim abriga inúmeros trabalhadores informais que descendem dos africanos escravizados, sendo o principal distribuidor dos artesanatos de barro, como alguidárescuscuzeiros, potes produzido no recôncavo baiano e venda de produtos para rituais de candomblé, como orobôsaridansobis.

Hoje, além de ser um importante cento comercial e econômico, a Feira também é um ponto turístico da capital baiana, sendo visitada diariamente por turistas do Brasil e do Mundo.

 

Por Brenda Marques, Cleyton Brandão,  Catharina Mohr  e Tiago Pereira. 

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *