Alimentação

Burguiles: hamburgueria que leva apelido e alma do dono

Paredes grafitadas, liberdade, expressividade e muito rock n’ roll compõem o cenário do local

Por: Ariadne Salvador, Carolina Dourado e Renata Nascimento

Inaugurada em janeiro de 2017, a Burguiles é o reflexo da personalidade de Guilherme Maciel, mais conhecido como Little Guiles, dono do estabelecimento. Localizado numa simpática esquina no bairro da Pituba, Guiles explica que “o espaço se mistura com a calçada”. “A ideia é que as pessoas se sintam em casa, optei por deixar tudo aberto, sem portas e janelas”, explica o proprietário.

Burguiles

Fachada da hamburgueria. Foto: Carolina Dourado

Num cenário de explosão de hambúrgueres artesanais no mercado da capital baiana, Guiles teve consciência que atribuir personalidade ao negócio era a chave para o sucesso e realização de um sonho.

O empresário compilou todas suas experiências das viagens pelo mundo e depositou em forma de inspiração na Burguiles, bem como na criação dos hambúrgueres.
“Eu nasci na rua, tenho todo o estilo de comida de rua, da feira da cidade. Eu absorvi, vesti a camisa, gosto de trabalhar na rua, gosto de ver gente, de conversar, de ver as ideias, de tomar uma cerveja, de ficar doido as vezes e dar uns dois gritos, né? Ser eu mesmo”, brinca o empresário.

Papo descontraído, bem tranquilo, de bermuda e meias na altura das canelas, Guilherme compartilha suas histórias do Havaí, trabalhando como garçom, Califórnia, Orlando, Miami, Nova York, Boston, Toronto até chegar em Salvador, cidade onde nasceu.
“Comecei a me identificar e não queria só ser garçom, queria ir pra cozinha, poder fazer, ter ideias, sugestões e botar a mão na massa”, explica Guiles. Sempre provando receitas de hambúrgueres por onde visitava, foi assim que decidiu não mais apenas degustar e sim começar a criá-los.

De chamar os amigos para fazer o churrasco americano no quintal de casa, Guilherme decide abrir seu próprio negócio: começa a trabalhar na feira da cidade com seu pequeno food truck. Fruto desse trabalho, consegue então ter retorno financeiro para abrir uma loja física.Entretanto, Guiles sabe que se manter no mercado é um dos maiores desafios para qualquer empreendedor: “sempre nado contracorrente, mas com inteligência”, pontua.

Dono de uma mente que funciona a 100 km por hora, Guiles explica que ainda não pretende abrir uma segunda loja e que prefere apostar em outras estratégias, como abrir para almoço e café da manhã.  “Quero fazer coisas novas, panquecas americanas, waffles, laricas engordativas e gostosas que você come quando vai em hotéis na Disney, por exemplo”, conta empolgado.

Guiles, proprietário da BurGuiles

Guiles, proprietário da BurGuiles

Guilherme não sonha pequeno. A estratégia sempre esteve na marca, nas entrelinhas, na construção da imagem da Burguiles, no serviço, qualidade dos produtos que faz questão de ir comprar, na interação com os clientes e, também, no sabor.BrieNelson, Lampião, Fatboy, Oingo Boingo, são alguns hambúrgueres no cardápio que levam na receita um “elemento X”, nunca revelado para deixar a carne mais gostosa e suculenta.

Mas a criatividade não para por aí. Tudo no seu espaço tem um porquê e isso não seria diferente para os “cargos chefes da casa”.Ao contar a história do nome de um dos seus hambúrgueres preferidos, o Zurich, o proprietário compartilhou ter o cuidado de pensar nos mínimos detalhes.

“Aqui eu sou livre para fazer o que eu quiser, testar novos nomes, sabores, receitas… se for aprovado, ótimo, mas se não for a gente muda. Não tem problema”, avalia o empresário.

Com toda convicção, Guilherme diz ser uma das melhores hamburguerias de Salvador e ter o desejo de servir para a cidade inteira. Mas tem também os pés no chão de que seus clientes fiéis são aqueles que moram por perto e sabem de que a Burguiles realmente é a extensão das ruas e das casas.

 

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *